segunda-feira, 20 de maio de 2013

ABERTO PROCESSO SELETIVO PARA TURMAS DE CONVALIDAÇÃO EM TEOLOGIA.


INTERESSADOS ENTRAR EM CONTATO CONOSCO PARA SABER INÍCIO DE TURMAS E VALOR DO CURSO E DAS MENSALIDADES, ABERTURA DE TURMAS COM DESCONTOS A CONSIDERAR.
CONTATOS ATRAVÉS DO SITE BLOG:apostolicarhema.comunidades.net
OU PELO E-MAIL:assisfrancisco1971@gmail.com
Falar com Rev.Francisco Siqueira Campos 


quarta-feira, 8 de maio de 2013

ENCERRADO ETAPA DE CONCESSÃO DE BOLSAS



ENCERRADO ETAPA DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDOS.


AVISAMOS QUE FORAM ENCERRADAS O PERÍODO DE AQUISIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDOS A PARTIR DESSES MÊS DE MAIO DE 20013, NO ENTANTO,OS ALUNOS QUE SE INTERESSAREM EM  SE MATRICULAR  ENTRAR EM CONTATO POR ESSE BLOG . NÃO PERCA TEMPO ESSA É A GRANDE OPORTUNIDADE DE VOCÊ SE TORNAR UM MINISTRO, UM TEÓLOGO COM CURSO SUPERIOR RECONHECIDO. 
HÁ COISAS NA VIDA QUE NÃO PODEMOS DEIXAR PASSAR E LHE GARANTO ESSA É UMA DELAS.
BREVE ESTAREMOS POSTANDO DEPOIMENTO DE ALUNOS FORMADOS.
MODALIDADE:DISTÂNCIA, ON-LINE, SEMI-PRESENCIAL
PR.FRANCISCO SIQUEIRA.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Arqueólogos encontram relíquia do século XV com “foto” de Jesus Cristo

Arqueólogos israelenses divulgaram no último domingo, 30, uma caixa pequena, primorosamente confeccionada que pode ser um símbolo da fé cristã usado há 1.400 anos. O objeto foi encontrado em uma rua de Jerusalém que foi escavada pelo grupo de estudiosos.

A caixa é feita de osso (pode ser de vaca, cavalo ou camelo) e decorada com uma cruz na tampa. Suas medidas são de apenas 2 cm por 1,5cm. De acordo com Yana Tchekhanovets da Autoridade de Antiquidades de Israel, esse objeto foi feito por um cristão que viveu no século 6 dC.

Dentro da caixa há restos de dois retrados de pintura feitos em folha de ouro. 

Acredita-se que as fotos sejam imagens de santos cristãos, como tem um homem e uma mulher os arqueólogos imaginam ser retratos de Jesus e a Virgem Maria.

A escavação estava acontecendo fora dos muros da Cidade Velha de Jerusalém e a caixa foi encontrada nos restos de uma via da era bizantina. O objetivo foi encontrado há dois e foi tratando por especialistas em preservação e foi revelado em uma conferência arqueológica que aconteceu na semana passada.

Traduzido e Adaptado por Gospel Prime de Urban Christian News

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Conferência de Teologia Vida Nova 2011

Durante os dias 19, 20 e 21 de Outubro acontecerão as Conferências de Teologia Vida Nova.
O Evento deste ano, será realizado na Igreja Batista da Capunga, no Recife.
Os palestrantes versarão, basicamente, sobre o tema global:Ética Cristã: Orientação para a formação moral de líderes cristãos.
Os palestrantes e temas específicos serão:

Darcy Sborowski Jr - Ministério Pastoral: vocação ou profissão;

Lourenço Stelio Rega - Sendo ético num mundo sem Deus;

Jonas Madureira - Ética Cristã e cinismo.

O evento tem a realização das Edições Vida Nova e conta com o apoio do Seminário Presbiteriano do Norte, Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil, Seminário de Educação Cristã e Faculdade Teológica da Assembleia de Deus.

Você poderá assistir ao evento, através do nosso portal, a partir das 19 horas.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

CARTA DE INÁCIO DE ANTIOQUIA DA IGREJA PRIMITIVA

http://www.snpcultura.org/fotografias/pedras_angulares_santo_inacio_antioquia.jpg“Foge das profissões desonestas. Além disso, faze homilia contra elas. Dize às minhas irmãs que amem o Senhor e se contentem com seus maridos física e espiritualmente. Recomenda também aos meus irmãos, em nome de Jesus Cristo, que amem suas esposas, como o Senhor ama a Igreja. Se alguém pode permanecer na castidade em honra da carne do Senhor, que permaneça na humildade. Se ele se gloria disso, está perdido, e considerando-se mais do que o bispo, está corrompido. Convém que os homens e as mulheres que se casam, contratem sua união com o parecer do bispo, a fim de que seu matrimônio seja feito segundo o Senhor e não segundo a concupiscência. Que tudo seja feito para a honra de Deus."

Carta de Inácio de Antioquia á Policarpo de Esmirna (ambos bispos da igreja primitiva), onde o ancião faz uma breve defesa da castidade, pedindo ao jovem bispo que incentive os fiéis nessa luta.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Quem foi Martinho Lutero?

http://3.bp.blogspot.com/_jQSMCeL58aM/TTMuqvkClZI/AAAAAAAAQ2o/dGKFXh1hdmE/s1600/vida-e-obra-de-martinho-lutero.jpg
Adicionar legenda
Martinho Lutero nasceu na pequena cidade de Eisleben, na Alemanha, no dia 10 de novembro de 1483. Ele recebeu esse nome em homenagem a São Martinho, que era o santo do dia em que ele foi batizado. Desde pequeninho ele ouvia falar sobre Jesus. Mas como seus pais eram muito rigorosos, ele achava que Deus também era assim. Com sua família Lutero também aprendeu a amar e a temer a Deus.
Quando Lutero fez 15 anos, viajou para uma cidade chamada Magdeburgo. Lá ele ia continuar estudando. O estudo era oferecido pelos monges, de graça. O que ele tinha que fazer era arrumar um lugar para ficar e também o que comer. Mesmo assim, não era fácil para Lutero conseguir isso. Ele cantava de casa em casa, pedindo doações em troca. Mas apesar de todo o seu esforço, não deu para continuar morando naquela cidade e ele teve que voltar para casa. Só que seus pais não queriam que ele parasse de estudar. Então arrumaram outra alternativa: mandar Lutero para a cidade de Eisenach. Lá moravam alguns parentes da família, que poderiam ajudá-lo a continuar estudando. Como Lutero era um aluno bom e dedicado, logo foi indicado pelos seus professores para estudar na Universidade de Erfurt.
Lutero tinha 18 anos quando entrou na Universidade de Erfurt. Como seu pai queria que ele se formasse em Direito, começou a estudar as Leis. E foi na biblioteca da Universidade que, pela primeira vez, ele viu uma Bíblia. Mas assim como a maioria das pessoas Lutero também tinha dúvidas, pois achava que fazia coisas que Deus não gostava. E cada vez que acontecia, olhava para o convento dos monges agostinianos, que ficava perto da Universidade. Pensava que se ele se tornasse um monge e se dedicasse bastante a Deus, seria perdoado. Então Lutero resolveu ser monge.
O perdão de Deus
Depois de tomar essa decisão, sem falar com os seus pais, Lutero foi até o convento para fazer seus votos de castidade, pobreza, obediência e fidelidade. No convento, aos poucos, foi ficando triste com o que via. Descobriu que muita coisa que os monges pregavam não passavam de grandes mentiras. Mesmo assim, continuou lá e, em 1507, tornou-se monge. Isso o deixou muito alegre, pois ele pensava que como padre, poderia fazer coisas maiores e mais importantes para Deus.
Nessa época Lutero acreditava que somente teria o perdão de Deus, se fizesse coisas boas. E, para conseguir isso, também como monge, Lutero era muito rigoroso, procurando ser sempre fiel ao que diziam as Sagradas Escrituras e a igreja. Como ele achava que Deus era muito bravo e ficava triste com as pessoas que não lhe obedeciam, cada vez que julgava ter feito algo errado, se punia, passando fome, frio, dormindo no chão…Tudo isso era para que Deus lhe perdoasse.  Mesmo assim, Lutero ainda não tinha encontrado a paz que tanto queria. Não tinha conseguido ainda a certeza de que Deus era seu amigo também. Um dia então, um velho padre, vendo como Lutero sofria, tentando buscar o perdão dos seus pecados, disse que ele não precisava se preocupar dessa maneira. Jesus já tinha sofrido por todos nós quando morreu na cruz, para conseguir o perdão dos nossos pecados. Lutero queria saber mais: Como Deus me dá este perdão?
Três anos depois de entrar no convento, Lutero foi convidado para ser professor na Universidade de Wittenberg. Com 25 anos, ele já era professor de filosofia e Bíblia e, cada vez mais, conhecia a Palavra de Deus. Lutero chegou a receber o título de Doutor em Teologia. Com isso, Matinho Lutero começou a se dedicar mais ainda ao estudo da Bíblia. Quanto mais estudava, mais entendia o que aquele velho padre tinha dito sobre o perdão dos pecados. Estudando a Bíblia, Lutero compreendeu que Deus ama e, por isso, perdoa. Deus é tão amigo que mandou Jesus, seu filho, salvar as pessoas. Lutero queria, então, que as pessoas soubessem que elas não ganhavam perdão pelo que faziam, mas pelo que Jesus fez por elas. Ele morreu por nós. Se acreditamos em Jesus e no amor que tem por nós nossos pecados estão perdoados. É assim que Deus dá o perdão. Com Jesus vamos aprendendo a viver no amor que Deus mostrou por nós.
A venda das indulgências
Enquanto isso, em Roma, na Itália, o papa chamado Leão X queria terminar de construir a Basílica de São Pedro. Para conseguir isso, ele arrumou um dinheiro emprestado. Só que para pagar esse empréstimo, o papa autorizou os padres a venderem indulgências. Estas eram papéis que, segundo eles, garantiriam o perdão de Deus. Mas o perdão de Deus não pode ser comprado. Deus dá o perdão de graça a todos, por causa de Jesus. Apesar disso os monges da Igreja Católica saíram para vender indulgências por toda a Europa.
Nessa época, Lutero já sabia que as pessoas não precisavam se torturar e, muito menos, pagar para receber o perdão de Deus. Ele explicava isso para as pessoas, tentando mostrar que a venda das indulgências não era da vontade de Deus. Lutero quis, então, conversar com outros monges, professores e também com as pessoas em geral sobre a venda das indulgências. Para isso, colocou, no dia 31 de outubro de 1517, na porta da igreja do Castelo de Wittenberg, uma lista com 95 idéias sobre como Deus oferece o perdão às pessoas. Essa lista ficou conhecida como as 95 Teses de Martinho Lutero e estava baseada na própria Bíblia.
Em apenas duas semanas, toda a Alemanha já sabia das teses. Pouco tempo depois, elas já eram conhecidas em vários países da Europa. Além disso, foram traduzidas para outras línguas, e pessoas de vários lugares do mundo começaram a discutir as questões que Lutero tinha levantado. No ínicio, o papa Leão X não deu muita importância para o que Lutero estava fazendo, mas, aos poucos, começou a perceber que a situação era mais séria do que ele pensava. Foi então que chamou Lutero para conversar. Lutero não chegou a ir a Roma, mas teve que se apresentar perante o enviado do papa, cardeal Caetano. o cardeal queria que ele pedisse perdão em público pela sua onfensa à igreja. Lutero disse que não podia pedir perdão, porque o que ele defendia era apenas o que estava escrito na Bíblia. Em 1520, Lutero foi escomungado pelo papa, através de um documento chamado Bula Papal. tudo aquilo que Lutero pregava e todos os seus livros foram condenados à fogueira. O objetivo era fazer com que todos os cristãos esquecessem Martinho Lutero e sua doutrina.
Fonte: IELB
Martinho Lutero nasceu na pequena cidade de Eisleben, na Alemanha, no dia 10 de novembro de 1483. Ele recebeu esse nome em homenagem a São Martinho, que era o santo do dia em que ele foi batizado. Desde pequeninho ele ouvia falar sobre Jesus. Mas como seus pais eram muito rigorosos, ele achava que Deus também era assim. Com sua família Lutero também aprendeu a amar e a temer a Deus.
Quando Lutero fez 15 anos, viajou para uma cidade chamada Magdeburgo. Lá ele ia continuar estudando. O estudo era oferecido pelos monges, de graça. O que ele tinha que fazer era arrumar um lugar para ficar e também o que comer. Mesmo assim, não era fácil para Lutero conseguir isso. Ele cantava de casa em casa, pedindo doações em troca. Mas apesar de todo o seu esforço, não deu para continuar morando naquela cidade e ele teve que voltar para casa. Só que seus pais não queriam que ele parasse de estudar. Então arrumaram outra alternativa: mandar Lutero para a cidade de Eisenach. Lá moravam alguns parentes da família, que poderiam ajudá-lo a continuar estudando. Como Lutero era um aluno bom e dedicado, logo foi indicado pelos seus professores para estudar na Universidade de Erfurt.
Lutero tinha 18 anos quando entrou na Universidade de Erfurt. Como seu pai queria que ele se formasse em Direito, começou a estudar as Leis. E foi na biblioteca da Universidade que, pela primeira vez, ele viu uma Bíblia. Mas assim como a maioria das pessoas Lutero também tinha dúvidas, pois achava que fazia coisas que Deus não gostava. E cada vez que acontecia, olhava para o convento dos monges agostinianos, que ficava perto da Universidade. Pensava que se ele se tornasse um monge e se dedicasse bastante a Deus, seria perdoado. Então Lutero resolveu ser monge.
O perdão de Deus
Depois de tomar essa decisão, sem falar com os seus pais, Lutero foi até o convento para fazer seus votos de castidade, pobreza, obediência e fidelidade. No convento, aos poucos, foi ficando triste com o que via. Descobriu que muita coisa que os monges pregavam não passavam de grandes mentiras. Mesmo assim, continuou lá e, em 1507, tornou-se monge. Isso o deixou muito alegre, pois ele pensava que como padre, poderia fazer coisas maiores e mais importantes para Deus.
Nessa época Lutero acreditava que somente teria o perdão de Deus, se fizesse coisas boas. E, para conseguir isso, também como monge, Lutero era muito rigoroso, procurando ser sempre fiel ao que diziam as Sagradas Escrituras e a igreja. Como ele achava que Deus era muito bravo e ficava triste com as pessoas que não lhe obedeciam, cada vez que julgava ter feito algo errado, se punia, passando fome, frio, dormindo no chão…Tudo isso era para que Deus lhe perdoasse.  Mesmo assim, Lutero ainda não tinha encontrado a paz que tanto queria. Não tinha conseguido ainda a certeza de que Deus era seu amigo também. Um dia então, um velho padre, vendo como Lutero sofria, tentando buscar o perdão dos seus pecados, disse que ele não precisava se preocupar dessa maneira. Jesus já tinha sofrido por todos nós quando morreu na cruz, para conseguir o perdão dos nossos pecados. Lutero queria saber mais: Como Deus me dá este perdão?
Três anos depois de entrar no convento, Lutero foi convidado para ser professor na Universidade de Wittenberg. Com 25 anos, ele já era professor de filosofia e Bíblia e, cada vez mais, conhecia a Palavra de Deus. Lutero chegou a receber o título de Doutor em Teologia. Com isso, Matinho Lutero começou a se dedicar mais ainda ao estudo da Bíblia. Quanto mais estudava, mais entendia o que aquele velho padre tinha dito sobre o perdão dos pecados. Estudando a Bíblia, Lutero compreendeu que Deus ama e, por isso, perdoa. Deus é tão amigo que mandou Jesus, seu filho, salvar as pessoas. Lutero queria, então, que as pessoas soubessem que elas não ganhavam perdão pelo que faziam, mas pelo que Jesus fez por elas. Ele morreu por nós. Se acreditamos em Jesus e no amor que tem por nós nossos pecados estão perdoados. É assim que Deus dá o perdão. Com Jesus vamos aprendendo a viver no amor que Deus mostrou por nós.
A venda das indulgências
Enquanto isso, em Roma, na Itália, o papa chamado Leão X queria terminar de construir a Basílica de São Pedro. Para conseguir isso, ele arrumou um dinheiro emprestado. Só que para pagar esse empréstimo, o papa autorizou os padres a venderem indulgências. Estas eram papéis que, segundo eles, garantiriam o perdão de Deus. Mas o perdão de Deus não pode ser comprado. Deus dá o perdão de graça a todos, por causa de Jesus. Apesar disso os monges da Igreja Católica saíram para vender indulgências por toda a Europa.
Nessa época, Lutero já sabia que as pessoas não precisavam se torturar e, muito menos, pagar para receber o perdão de Deus. Ele explicava isso para as pessoas, tentando mostrar que a venda das indulgências não era da vontade de Deus. Lutero quis, então, conversar com outros monges, professores e também com as pessoas em geral sobre a venda das indulgências. Para isso, colocou, no dia 31 de outubro de 1517, na porta da igreja do Castelo de Wittenberg, uma lista com 95 idéias sobre como Deus oferece o perdão às pessoas. Essa lista ficou conhecida como as 95 Teses de Martinho Lutero e estava baseada na própria Bíblia.
Em apenas duas semanas, toda a Alemanha já sabia das teses. Pouco tempo depois, elas já eram conhecidas em vários países da Europa. Além disso, foram traduzidas para outras línguas, e pessoas de vários lugares do mundo começaram a discutir as questões que Lutero tinha levantado. No ínicio, o papa Leão X não deu muita importância para o que Lutero estava fazendo, mas, aos poucos, começou a perceber que a situação era mais séria do que ele pensava. Foi então que chamou Lutero para conversar. Lutero não chegou a ir a Roma, mas teve que se apresentar perante o enviado do papa, cardeal Caetano. o cardeal queria que ele pedisse perdão em público pela sua onfensa à igreja. Lutero disse que não podia pedir perdão, porque o que ele defendia era apenas o que estava escrito na Bíblia. Em 1520, Lutero foi escomungado pelo papa, através de um documento chamado Bula Papal. tudo aquilo que Lutero pregava e todos os seus livros foram condenados à fogueira. O objetivo era fazer com que todos os cristãos esquecessem Martinho Lutero e sua doutrina.
Fonte: IELB

ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Através do site:apostolicarhema.comunidades.net na área de contato.